Arquivo da categoria: Comunicação

Museu ferroviário de Quioto

O museu ferroviário de Quioto (Kyoto Railway Museum) abriu no final de abril deste ano. É uma nova atração da cidade, pela quantidade e qualidade de material exposto, como as locomotivas de carvão e os modernos comboios que operam na linha de alta velocidade Shinkansen (新幹線). A joia da coroa é uma enorme sala-anfiteatro cheia de linhas e comboios em miniatura a andar, o que causa muita alegria a crianças e adultos. Entrada 1200 ienes (cerca de dez euros).

O Cabo Submarino num Mar de Competitividades

O Cabo Submarino num Mar de Competitividades é uma exposição temporária a visitar na Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa, perto do Cais do Sodré. Telégrafo, comunicação telefónica, cabo coaxial e de fibra ótica e tecnologias da comunicação são elementos importantes presentes na exposição. Criada em Outubro de 1997, a Fundação Portuguesa das Comunicações tem como membros fundadores o ICP – Autoridade Nacional de Comunicações (ICP-ANACOM), os CTT – Correios de Portugal (CTT) e a Portugal Telecom (PT). A visita guiada foi conduzida por Teresa Salema, membro do Conselho Executivo da Fundação Portuguesa das Comunicações, licenciada em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores e mestre em Gestão e Administração de Empresas.

NetStation 2015

Numa das sessões da manhã de hoje na conferência internacional NetStation 2015. Radio, Sound, and Internet, na Universidade do Minho. Pedro Portela e Fábio Ribeiro com a comunicação Serial: a importância da estética sonora na popularização de um podcast e Ana Sofia Andrade com o texto A voz do dia-a-dia e a voz profissional. Eu falei sobre Fernando Curado Ribeiro e o seu livro Rádio. Produção, Realização, Estética (1964), em especial os relacionados com a estética sonora e ligações com obras sobre rádio editadas na França pós-II Guerra Mundial e que influenciaram a sua escrita: Sudre, 1945; Thévenot, 1946; Cordier, 1950; Pradalié, 1951 [a última fotografia pertence à organização do evento].

Armando Ferreira (1893-1968) e a cultura

Armando Ferreira foi alguém com uma carreira curiosa. Com o curso do Instituto Superior Técnico, ele empregou-se na APT (Anglo-Portuguese Telephone), mais conhecida como Companhia dos Telefones, com actividade nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, e uma das antecessoras da Portugal Telecom. Na APT, ele foi responsável pela publicação de folhetos de relações públicas e promoção de serviços e por campanhas de comunicação de que resultariam cartazes assinados por nomes como Carlos Botelho, de 1930, reproduzido a seguir.

Logo após a conclusão do curso universitário, entrou para o jornal A Capital, onde chegou a chefe de redacção. A crítica literária, teatral e de espectáculos foi um meio onde se expressou abundantemente, naquele jornal mas também no Notícias Ilustrado, no Jornal do Comércio e no Diário Popular, aqui durante 21 anos (os recortes de notícias abaixo inseridos pertencem ao Diário Popular, de 3 e 4 de Dezembro de 1968). Alguns trabalhos humorísticos dele seriam Lisboa sem Camisa, O Casamento de Fifi Antunes, O Baile dos Bastinhos, O Galão de Alcântara, Amor de Perdigão, A Família Piranga e A Baratinha Loira. No seu obituário, nas peças noticiosas aqui impressas, indica-se que os textos dele alcançariam tiragens elevadas para o nosso mercado durante a década de 1940. A colaboração de Armando Ferreira estendeu-se ainda pelos júris dos concurso de peças de teatro patrocinado pelo SNI. Foi sócio fundador da Sociedade de Autores e Compositores Portugueses.

Armando Ferreira 1Armando Ferreira 2

 

apt

Armando Ferreira 3

Raymond Williams (1)

No capítulo “Technology and the Society” do livro Television, Williams escreve que a televisão alterou o mundo, o que leva a que se fale de um novo mundo, uma nova sociedade. Ele considera causas e efeitos. As questões relacionadas com causa e efeito são entre tecnologia e sociedade e têm uma acção prática. O autor refere-se à tecnologia e aos usos da tecnologia, a instituições relacionadas com tecnologia e aos seus conteúdos. Ora, a televisão é uma tecnologia cultural particular.

A análise de Williams parte de três pontos (os subcapítulos): 1) versões de causa e efeito na tecnologia e na sociedade, 2) história social da televisão como tecnologia, 3) história social dos usos da tecnologia da televisão.

No primeiro ponto, das versões de causa e efeito na tecnologia e na sociedade, há afirmações como:
1) a televisão foi inventada como resultado da investigação científica e técnica. Em vez de apenas um meio de notícias e entretenimento é o meio fundamental das notícias e entretenimento,
2) adquire a forma de meio institucional fundamental,
3) alterou as nossas percepções da realidade,
4) articula-se com outros factores como a mobilidade física,
5) adquire um papel central na vida da família, da cultura e da sociedade,
6) o investimento e desenvolvimento da televisão leva-a a um novo tipo de sociedade,
7) tornou-se numa nova fase lucrativa da economia doméstica do consumo,
8) realça elementos de passividade e desadequação cultural e psicológica,
9) explora as necessidades de uma sociedade complexa e atomizada.

A afirmação sempre presente é “a televisão alterou o nosso mundo”.
As cinco primeiras afirmações são vistas como determinismo tecnológico, que é uma perspectiva ortodoxa da natureza da mudança social. As outras quatro afirmações são menos deterministas. Aqui destaca outros factores na mudança social. Williams fala do grande debate entre estas perspectivas, a do determinismo tecnológico, em que as novas tecnologias são uma variável independente, e a da tecnologia sintomática, em que essa independência é mais marginal. Williams propõe uma interpretação diferente.

No segundo ponto, a história social da televisão como tecnologia, Williams entende que a invenção da televisão não resulta de um acontecimento isolado ou de um conjunto de acontecimentos. Ela depende de um complexo de invenções e desenvolvimentos na electricidade, na telegrafia, na fotografia e cinema, e na rádio. Ele identifica dois períodos principais (1875-1890; décadas de 1920 e 1930). As vantagens da electricidade relacionam-se com as necessidades industriais, mobilidade e transferência da electricidade e flexibilidade. A electricidade, além das fábricas, vai servir as cidades e os lares. O desenvolvimento do telégrafo foi mais simples, com a transmissão de mensagens através de equipamentos eléctricos. A telegrafia eléctrica ocorreu na década de 1870, a mesma década em que o telefone se desenvolveu [há uma imprecisão de datas, pois o telégrafo é anterior].
Williams junta a ideia de imagens em movimento (cinema) com o efeito da persistência na visão humana. Ele descreve depois a televisão e as suas etapas anteriores. Apesar da previsão do seu aparecimento, foram necessárias a existência da válvula electrónica e do amplificador multi-etapas.

O autor refere um conjunto alargado de invenções (e descobertas) científicas e a rivalidade entre sistemas mecânicos e electrónicos (hoje objecto apenas da história, pois a digitalização ultrapassou esses sistemas). Williams destaca o número de campos complexo e relacionado em termos de sistemas de mobilidade e transferência de produção (eléctrica, radiodifusão) e comunicação. Isto é: uma característica dos sistemas de comunicação é que foram previstos – não em termos utópicos mas técnicos – antes dos componentes fundamentais dos sistemas desenvolvidos terem sido descobertos e melhorados. Isto liga-se a uma longa história da acumulação capitalista e ao trabalho de melhorias técnicas, criando novas necessidades e novas possibilidades.

Quanto ao terceiro ponto, a história social dos usos da tecnologia televisiva, Williams coloca a questão de uma relação entre uma nova sociedade móvel e complexa e o desenvolvimento da moderna tecnologia de comunicação. Os incentivos nasceram de problemas de comunicação e controlo militar e de operações comerciais.
As tecnologias permitem passar informação específica e manter contacto e controlo. Isso foi visível na segunda fase da tecnologia (electrónica) – a rádio, mais tarde tornada uma tecnologia para o público geral. Williams indica um conhecimento crescente da mobilidade e mudança como marcadores no processo social de comunicação. O autor reflecte sobre a palavra massa: organização de massa, comício de massa, produção de massa. Mas a rádio sonora e a televisão foram desenvolvidas para a transmissão para lares individuais, embora nada na tecnologia o tornasse inevitável. Se a comunicação social está ligada à comunicação de massa, com os media a irem alcançar muita gente, a massa é ultrapassada pela oferta de aparelhos individuais.

Ao contrário de todas as tecnologias de comunicação anteriores, a rádio e a televisão eram sistemas inicialmente previstos para transmissão e recepção como processos abstractos, com uma pequena ou nenhuma definição de conteúdo. Este, quando muito, era parasitário – eventos do Estado, acontecimentos desportivos, teatro [eu tenho uma posição mais moderada que Williams, embora o entenda. A rádio deve a tecnologias anteriores, mas também a práticas culturais anteriores. Os intervalos na transmissão de uma ópera seguiram o protocolo das representações no palco]. Williams insiste: a oferta da radiodifusão antecede a procura; os media precedem o conteúdo. Depois da tecnologia pública (como o caminho de ferro e a iluminação eléctrica), veio a tecnologia privada, a privatização móvel.

Por mobilidade, entende-se o ir e vir e procurar novos locais. Uma maior mobilidade interna, a um primeiro nível, trouxe consequências secundárias em termos de dispersão das famílias e a necessidade de novos tipos de organização social. A rádio era um novo tipo de comunicação – as notícias de fora, de fontes inacessíveis. A nova tecnologia de consumo atingiu a sua primeira etapa decisiva na década de 1920. Aos novos bens, como o transporte privado, correspondeu a rádio, que trouxe notícias e entretenimento para o lar. Nessa altura inicial, a questão era a transmissão; depois, veio o conteúdo [aqui, discordo de novo de Williams: a cultura tecnológica era a troca de cartões entre emissores amadores que levavam a sua voz mais longe do que nunca. A rádio é uma tecnologia que começa por herdar isso]. Já na década de 1930, há avanços significativos na produção de conteúdos. A radiodifusão oferecia um todo social – música, notícias, entretenimento, desporto. A televisão seguiu etapas semelhantes à rádio.

Leitura: Raymond Williams (1974/2008). Television: Technology and Cultural Form. Londres e Nova Iorque: Routledge, pp. 1-23

Memórias

Memórias de duas participações, a primeira na mesa temática Interfaces da História da Mídia no Brasil e em Portugal, em Ouro Preto, ao lado de Marialva Barbosa (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e Eduardo Meditsch (Universidade Federal de Santa Catarina) (1 de Junho) [foto retirada de http://www.jornalismo.ufop.br/historiadamidia/], a segunda em conferência sobre comunicação na empresa, ao lado de Boanerges Lopes (Universidade Federal de Juiz de Fora) (7 de Junho).

InterfacesUFJF

2013 ACIS Conference in Lisbon

CONFERENCE ANNOUNCEMENT AND CALL FOR PAPERS
UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA, LISBON
9th to 11th SEPTEMBER 2013

The Association for Contemporary Iberian Studies (ACIS) will hold its 35th Conference organised by the Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Católica Portuguesa, from 9th to 11th September 2013. The conference will take place in Lisbon.

The ACIS is cordially invited you to offer a paper, panel, or workshop presentation. Proposals for panels of four papers maximum are also invited on specific themes in addition to individual presentations. Any proposed panel should be organised by one convenor who will be responsible for inviting the speakers and chairing the session. You are also invited to suggest any speakers who you think would be willing to offer a paper, bearing in mind, however, that ACIS does not normally offer a fee or expenses for speakers. The choice of all panels and papers will be made by the Conference programme organisers in consultation with the Executive Committee.

Below are the suggested thematic areas for papers and panels, which must relate primarily to Spain and Portugal. The themes are not exclusive and may be interdisciplinary in nature.

 Politics, Government, International Relations, the EU, Nationalism, Regionalisms
 Economics, Business, Labour, Social and Welfare issues
 Cultural production and communication in all their forms (e.g. film, television, journalism, media, advertising, digital communication and social networking)
 Social and Cultural Studies (e.g. identity, gender, ethnicity, popular culture)
 Contemporary History
 Language, Linguistics, Language Policy, Pedagogy and Education

Other suggestions are welcome, and Panels can be more specifically oriented within these broad areas. Papers will be allocated a maximum of 30 minutes on the programme (i.e. approx 20 minutes for the paper and 10 minutes for discussion and debate).

If you wish to offer a paper, please refer to the Guidelines for Papers. For papers and/or panels, please send, preferably by e-mail, a title and abstract (approx. 150 words) by Friday 22nd March 2013 to:

Dr Mark Gant
University of Chester
Modern Languages Department
Parkgate Road
Chester
CH1 4BJ
Tel. +44 (0)1244 513049
E-mail: m.gant@chester.ac.uk

Dito

O texto de Henrique Monteiro no Expresso sobre Isabel Jonet (e as declarações polémicas dela pouco antes da recolha de alimentos este fim de semana, que levaram a uma grande discussão pública) permitiu-lhe escrever uma frase curiosa: “As redes sociais estão a tornar-se num viveiro de declarações grandiloquentes, mas despidas de qualquer sentido. Numa espécie de amplificador de ferrabrases e de vociferadores”. A refletir, favoravelmente ou não.

Association for Contemporary Iberian Studies. Conference announcement and call for papers. Kings College, London, 4-6 September 2012

The Association for Contemporary Iberian Studies will hold its 33rd Conference organised jointly by Kings College London and the University of Westminster, for 4 – 6 September 2012. The conference will take place at King’s College London. You are cordially invited to offer a paper, panel, or workshop presentation. Proposals for panels of four papers maximum are also invited on specific themes in addition to individual presentations. Any proposed panel should be organised by one convenor who will be responsible for inviting the speakers and chairing the session. You are also invited to suggest any speakers who you think would be willing to offer a paper, bearing in mind, however, that ACIS does not normally offer a fee or expenses for speakers. The choice of all panels and papers will be made by the Conference programme organisers in consultation with the Executive Committee.

Below are the suggested thematic areas for papers and panels, which must relate primarily to Spain and Portugal. The themes are not exclusive and may be interdisciplinary in nature. Politics, Government, International Relations, the EU, Nationalism, Regionalisms, Elections, Economics, Business, Labour, Social and Welfare issues, Education, Film, Television, Journalism, Media, Advertising, Leisure, Tourism, Sport, Twentieth-Century History, Cultural Studies, Identities, Gender, Language, Linguistics, Language Policy and Pedagogy.

Other suggestions are welcome, and Panels can be more specifically oriented within these broad areas. Papers will be allocated a maximum of 30 minutes on the programme (i.e. approx 20 minutes for the paper and 10 minutes for discussion and debate). If you wish to offer a paper, please refer to the Guidelines for Papers (on the next page). For papers and/or panels, please send, preferably by e-mail, a title and abstract (approx. 150 words) by Friday 30 March 2012 to: Professor Rikki Morgan-Tamosunas, University of Westminster, 309 Regent Street, London, Tel. +44 (0)20 7911 5026, E-mail: conference@acis2012.org. Informal enquiries concerning papers and topics are welcome before the deadlines. Please note that a year’s membership will be included in the conference fee. Details concerning conference registration will be made available in due course on the ACIS website www.iberianstudies.net. Please visit this site for further information about the Association.

Transportes e comunicação

Os transportes tornaram-se progressivamente dependentes das comunicações, nomeadamente através dos aparelhos de controlo. Ao longo das últimas décadas, os governos esforçaram-se na articulação das tecnologias da comunicação e dos transportes, procurando o controlo e a segurança. O controlo e a segurança vão além do uso da rádio. Elenco alguns tópicos: radar, câmara de vídeo, paragens auto-stop, senhas de estacionamento.

Nos seus trabalhos principais, James Carey (1934-2006) dera atenção à relação entre transportes e comunicação. Para ele, o advento do telégrafo teve uma importância fundamental: a comunicação libertou-se da dependência dos transportes. Aí, detecto a influência de Harold Innis, que Carey estudou bem. As mensagens podiam ser transferidas sem a ajuda das tecnologias de transporte como comboios, navios e outras. Isto é, a comunicação a longa distância já não precisava de se ligar aos jornais e aos veículos usados no seu transporte. Agora, a comunicação usava-se nos processos de controlo físico. Curiosamente, as comunicações foram dependentes das tecnologias de transporte por um período superior a 150 anos mas os transportes tornaram-se crescentemente dependentes das tecnologias de comunicação.

Jeremy Packer (2006, 2008), um seguidor de James Carey, aponta duas trajectórias teóricas: a) dependência em termos de controlo do espaço, seguindo Innis e Carey, b) compreensão da governamentalidade (= racionalidade política) – as comunicações e os transportes são meios que asseguram e alargam as possibilidades da governação, seguindo Foucault e Deleuze.

Como é que a comunicação e os transportes se mantêm interligados? Por exemplo, a falta de comunicação pode levar a um acidente. A noção de segurança significa um meio de justificar e legitimar modos de regulação e associar as tecnologias de comunicação e transportes. É com as ligações sem fios e com a comunicação através de computadores que muda a natureza da dependência dos transportes (no vídeo, o museu da ciência de Munique – Deustches Museum).

Leituras: Jeremy Packer (2006). “Rethinking dependency: new relations of transportation and communication”. In Jeremy Packer and Craig Robertson (eds.) Thinking with James Carey. Essays on communications, transportation, history. New York: Peter Lang
Jeremy Packer (2008). Mobility without mayhem. Safety, cars, and citizenship. Durham e Londres: Duke University Press

LISBON CONSORTIUM

O programa Lisbon Consortium é um “modelo de formação internacional, inovador, que traz para Portugal as melhores práticas de colaboração entre a Universidade e as instituições da cultura. É um programa da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, destinado a investigadores e profissionais da área da cultura”. Agora, há um conjunto de pequenos vídeos, disponíveis a partir de Comunicação & Cultura, onde se pode tomar contacto com as suas realizações. A seguir o vídeo de promoção:

COMUNICAÇÃO & CULTURA – DOIS NÚMEROS DA REVISTA

Pós-género e A festa são os dois mais recentes números de Comunicação & Cultura, revista do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura da UCP.

“Como poderá uma figura tão calculista e artificial, tão clínica e estranhamente artificial, tão despida de erotismo genuíno, ter-se tornado o ícone da sua geração”? (Camille Paglia, citada por Isabel Gil e Carla Ganito, coordenadoras do número Pós-género). A figura é, claro, Stefani Joanne Angelina Germanotta, aliás, Lady Gaga. O título do editorial das coordenadoras esclarece melhor: “Paródia, pastiche, perversão e política: a teoria no reino do pós-género”. Continuam as duas autoras: “Oriunda da classe média nova-iorquina e educada em escolas de elite, a artista usa o modelo social sob a forma de apropriação inversa, isto é, aproveita o modelo da cultura dominante de fundo capitalista contra si própria”. Lady Gaga usa as estruturas da culturalite: a construção da celebridade, os mecanismos de marketização, as novas tecnologias visuais. Gil & Ganito distinguem quatro formulações recorrentes do termo pós-género, associadas ou conotadas ao feminismo liberal, feminismo radical, ciberfeminismo e pós-género + pós-moderno. O volume tem textos de Angela McRobbie, Elizabeth Nivre, Sónia Sebastião, Carla Ganito, Cláudia Álvares e Daniel Cardoso, Lara Duarte, Fernando Ampudia de Haro e Lauro António, além de entrevistas a Gilles Lipovetsky, por Carla Ganito e Ana Fabíola Maurício, e Gaye Tuchman, por Gonçalo Pereira Rosa.

Sobre a festa, escrevem os organizadores do volume (Artur Teodoro Matos, Mário Lages e Roberto Carneiro) que ela “está indeclinavelmente associada à contingência humana e à sua incontornável pulsão comunitária. Na alegria como na tragédia, na vida como na morte, na efeméride como na elegia, a festa celebra o mistério humano da ciclicidade, o retorno geracional, o memorial do tempo e a sua inexorável passagem”. O número tem textos de Joaquim de Sousa Teixeira, Ana Isabel Buescu, Alfredo Teixeira, Helena Rebelo Pinto e Maria Teresa Ribeiro, Luís Fagundes Duarte, Marta Lobão Araújo, Nelson Ribeiro e Mário Lages, com uma entrevista a Richard Grusin, por Diana Gonçalves.

CONVOCATORIA DE ARTÍCULOS

Cuadernos de Información Nº 28, junio 2011. Dossier: Políticas Públicas y Comunicación. El próximo número de Cuadernos de Información, el journal académico editado por la Facultad de Comunicaciones de la Universidad Católica de Chile, incluirá un dossier sobre Políticas Públicas y Comunicación. Es por eso que estamos invitando a investigadores y académicos para que nos hagan llegar sus colaboraciones. Serán bienvenidos tanto artículos sobre esta temática como aquellos que se refieran a otros aspectos de la comunicación. Las preguntas de investigación que pueden ser exploradas son, entre otras: 1) Las políticas públicas que tienen directa incidencia en la comunicación y los medios (communication and media policy), 2) Las campañas comunicacionales de políticas públicas, 3) Los diversos actores y su capacidad comunicacional para ser “setters” de la política pública.

Las colaboraciones se recibirán hasta el 1° de abril de 2011 y deben ser enviadas a cuadernos@uc.cl, presentados en español, inglés o portugués, claro y conciso.

VIDEO INTERACTION

A full day workshop at CHI2011 in Vancouver, BC, May 7, 2011. Video has slowly been gaining popularity as a social media. We are now witnessing a step where capture and live broadcasts is released from the constraints of the desktop computer, which further accentuate issues such as video literacy, collaboration, hybridity, utility and privacy, that needs to be addressed in order to make video useful for large user groups. Read more.

ENCONTRO DE INVESTIGADORES DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

Braga, 7 de Janeiro de 2011, a partir das 11:00. Encontro aberto especialmente a jovens investigadores das Ciências da Comunicação portugueses ou em instituições portuguesas: estudantes de mestrado (2º ciclo), estudantes de doutoramento, estudantes de pós-doutoramento, bolseiros de projecto de investigação, membros da equipa de projecto de investigação. E-mail de contacto: fabiofonsecaribeiro@gmail.com. Mais informações: http://sopcomji.wordpress.com/.

SMARTPHONES

“No terceiro trimestre deste ano foram vendidos em Portugal 251 mil smartphones, segundo o estudo IDC European Mobile Phone Tracker. O valor representa uma subida de 82% da venda deste tipo de terminais face a igual período do ano passado, tendo sido o segmento de telefones móveis que mais contribuiu para o crescimento do mercado, que globalmente aumentou 12%, para os 1,3 milhões de unidades, revela o estudo da IDC. Foram «os telefones com o sistema operativo Android os que mais cresceram no mercado face ao terceiro trimestre de 2009»” (Meios & Publicidade).

IAMCR ACADEMIC CONFERENCE

The International Association for Media and Communication Research (IAMCR) invites submission of abstracts for its 2011 academic conference to be held at Kadir Has University in Istanbul, Turkey, from July 13 to 17, 2011. The general theme of the conference is Cities, Creativity, Connectivity. Read more.

The conference aims to assess the present state of the city, interrogate the processes that generated the present, and evaluate the future(s) that lay ahead. As citizens, what are the rights, norms and standards we desire? What does global connectivity offer to the riches and uncertainties of urban everyday life? What are the aesthetics and economies of creativity in which we invest the future of the city? What are the communicative possibilities that cities afford and hinder? These and other questions await our scholarly responses and intellectual interventions. A wide-ranging set of issues, sub-themes and topics confront us for exploration and interrogation, including but not limited to the following :

* Creative and cultural industries in a globalized economy
* Global city, connectivity and communication
* Art, culture and transnational communication
* Cosmopolitanism as an ideal and practice
* Economies of art, media and creativity
* Media, democratization and urban life
* Hybridities, identities, creativity
* Migration: communication, connectivity and creativity
* Local productions in a global city
* Communication inequality: rural and urban trends
* Social networks, connectivity and creativity
* Digital artworlds and virtual connectivity
* Social responsibility, personhood and communication
* Communication, Rights and duties of citizens in the emerging global order
* Communities, connectivity and marginalized groups
* Economics and the cost of urban connectivities
* Gender, culture and communication

GYORGYI RETFALVI

Gyorgyi Retfalvi’s presentation: Project based teaching of Digital Culture. 4th Global Communication Association Conference, Krakow, October, 27, 2010.

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=AvK_e_NAfjE&fs=1&hl=pt_BR]

PRACTICES AND CONSUMPTION OF CHRISTIAN PRESS READERS

In 2009, the Portuguese Christian Press Association (AIC, Associação de Imprensa de Inspiração Cristã) held a survey of publications that belongs to the Association, with 22 questions. The CESOP (Centro de Estudos de Sondagens e Opinião Pública, Centre for the Study of Polls and Public Opinion) from Catholic University of Portugal was responsible for this survey and its analysis. There were a total of 997 answers from valid surveys, concerning a total of 36 publications. It was not my intention to project the idea of a community of knowledge (Zelizer), nor to work on concepts such as passive or critical audiences (Hall), but to look into a specific set of publications (daily, weekly, fortnightly, monthly) included in the association. The production of this survey had several objectives, the first of which was to know the readers of the publications identified with religious ideals. Then, the intention was to find out the receptivity of those readers to advertising, as well as relating local, national and international news, with the objective of calculating the interaction in reading between regional and global topics.

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=HfPI3ZSulnM&fs=1&hl=pt_BR]

BRASILIA RECIBE CONGRESO PANAMERICANO DE COMUNICACIÓN

La organización escribe para invitarles a los investigadores a enviar ponencias y participar del Congreso Panamericano en Comunicación (PANAM) 2010, que ese año va ocurrir en Brasilia – DF, Brasil, organizado por la Universidade Católica de Brasilia (UCB). Hay disponible en español, inglés y portugués el sitio web del PANAM 2010, que ese año debaterá las industrias de contenidos digitales, las redes sociales y el desarrollo sustentable. Durante los días 31-11 (pre-evento), 01, 02 y 03 de diciembre, los participantes del PANAM 2010 van tener la oportunidad de debatir en 10 grupos de trabajo, asistir a dos conferencias magistrales, y otras cuatro mesas de debates. Además podrán conocer contenidos digitales interactivos desarrollados para TV digital, celulares, videojuegos ou para la convergencia de medios, así como acudir a la presentación de libros de expertos en los temas del Congresso. Tod@s podrán subscribirse desde el sitio web del PANAM 2010. Ya el pago de la subscripción para personas de fuera de Brasil será realizado directamente en la secretaria del PANAM 2010, en Brasilia-DF, para que el costo no sea demasiado caro a los participantes. Finalmente, el Congreso Panamericano de Comunicación está con llamada para ponencias en abierto hasta el 14 de noviembre. Más informaciones: Cosette Castro (cosette@ucb.br), Coordinadora del PANAM 2010.

INVESTIGADORES PORTUGUESES EM LUGARES DE DESTAQUE NA ECREA

São actualmente vários os investigadores portugueses que ocupam lugares de destaque na ECREA (European Communication Research and Education Association). No último congresso da associação, realizado recentemente em Hamburgo, na Alemanha, foram eleitos/reeleitos para cargos de liderança dos grupos temáticos 5 investigadores nacionais: Cristina Ponte (UNL) é vice-chair do grupo de ‘Audience and Reception Studies’, Cláudia Álvares (Universidade Lusófona) é vice-chair do grupo de ‘Gender and Communication’; Ana Melo (UM) é vice-chair do grupo ‘Organisational and Strategic Communication’; Anabela Carvalho (UM) é vice-chair do grupo ‘Science and Environment Communication’; Manuel Damásio (Universidade Lusófona) é vice-chair do grupo ‘Television Studies’. A estas referências junta-se ainda Stanislaw Jedrszejewski, investigador convidado do CECS (UM) e vice-chair da Radio Research Section (da Newsletter – 2010 OUTUBRO da SOPCOM).

GLOBAL COMMUNICATION ASSOCIATION

Global Communication Association (GCA) is a unique, independent, and inclusive association which is open to all interested and qualified media professionals and academics, has no annual membership fees, and holds annual conferences in different parts of the world. The ultimate goals of GCA are to enhance global cooperation, collaboration, and communication among the institutions of higher education, media scholars, researchers, students, and professionals. Dr. Yahya Kamalipour (persian: یحیی کمالی پور , born 1947) is professor and head of the Department of Communication and Creative Arts (Purdue University Calumet, Hammond, Indiana, USA) and GCA founder and chair.

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=YSJ_ErbqoYc&fs=1&hl=pt_BR]