MAIS OBITEL

No segundo dia do encontro da Obitel, houve apresentações nacionais, casos do Uruguai, México, Espanha e Estados Unidos (aqui, a produção de ficção de língua castelhana). Retive alguns elementos como o peso da produção e das co-produções, a existência de públicos diversificados (jovens, adultos, mais velhos), com consumos distintos, a importância de temas universais mas adaptados a realidades nacionais e regionais e alguma coincidência desses temas e circulação de alguns títulos (comprados e adaptados aos países de recepção).

Nas comunicações produzidas, discutiram-se também formatos (séries, minisséries, telenovelas) e o papel dos actores (alguns cuja popularidade garante audiências elevadas) e dos argumentistas. Uma questão introduzida no presente ano no anuário do Obitel, a da transmediação (a partir do conceito desenvolvido por Henry Jenkins), com o uso das redes sociais como comentários e sugestões, foi comum às comunicações. Indique-se que os diferentes países trabalharam dados nacionais a partir de uma grelha de análise comum, o que permite estabelecer uma confortável comparabilidade.

O segundo dia do seminário serviu ainda para se perceber fenómenos como concentração dos media, o olhar do estrangeiro na terra de acolhimento (caso dos mexicanos nos Estados Unidos), o tema do passado (memória histórica em Espanha) e o uso da digitalização (e o crescente emprego dos efeitos especiais na pós-produção da ficção da televisão). Práticas sociais e culturais, narrativas, qualidade da ficção, standards técnicos internacionais, peso do argumento, televisão educativa e de qualidade no serviço público e combinação do entretenimento com as dimensões da experiência humana foram outras ideias que retirei das comunicações.

Além das comunicações dos académicos ibéricos e dos países da América latina, o seminário contou também com comunicações e comentários de elementos da indústria audiovisual portuguesa, como responsáveis de conteúdos, de programação, coordenadores de projectos de séries e telenovelas, produtores, realizadores e argumentistas.


(grupo do Obitel reunido em Lisboa e excertos das comunicações dos representantes de Espanha e dos Estados Unidos)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.