ROBERT MORRIS

Robert Morris, após ter estudado engenharia, tornou-se artista, escultor e crítico de arte americano, ligado aos movimentos minimalista e arte da terra. A exposição agora patente na Fundação de Serralves é uma retrospectiva de filmes e vídeos que tem protagonizado nas últimas décadas em termos da relação das artes visuais e do cinema como linguagem artística e meio de documentação de acções efémeras (do texto de João Fernandes no catálogo). Destaco Waterman Switch e Waterman Switch Revisited, filmes de 1963 realizados por Babette Mangolte e em que o próprio Morris e Yvonne Rainer dançam numa pista como se fossem seres mecânicos. Mais perto de nós, de 2005, Birthday Boy mostram um actor e uma actriz fazendo o papel de professores falando sobre o David de Miguel Ângelo, brindando com um copo de vinho e continuando a beber enquanto discursam.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.