O que a CPMCS pensa da entrevista dada à Briefing pela APAN

Ontem, a revista Briefing publicou uma entrevista com Eduardo Branco, presidente da Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN). Disse o representante máximo da APAN: “A quadratura do círculo é sermos mais eficientes, ou seja, conseguirmos fazer mais com menos. Mas a perspectiva dos anunciantes é de não querer menos exposição. Não se pode deixar de anunciar, vai é ter de ser mais barato” (ver parte da entrevista ao lado e abaixo). Hoje, João Palmeiro, da Confederação Portuguesa dos Meios de Comunicação Social (CPMCS), que representa a indústria dos media, foi duro relativamente à entrevista, em declarações feitas durante o congresso da ARIC (a resposta oficial será feita na próxima semana) [o vídeo não tem a melhor qualidade mas serve como documento].

Segundo os dados de preços de tabela da publicidade em Portugal a partir da Marktest, o negócio vale cinco mil milhões de euros, mas o valor real é de 800 milhões. Já para as agências o valor real será da ordem de 600 milhões de euros. Para Palmeiro, a informação mais aproximada da realidade encontra-se nos dados publicados pelo INE, de onde ele retirou o valor que indicou. Logo, o que propõe Eduardo Branco, da APAN e administrador da PT Compras Serviços de Consultoria e Negociação – a redução de preços -, é impossível dado o esmagamento de valores realmente praticados.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.