75 anos da Rádio Renascença

Hoje, realizou-se o colóquio O meio rádio e os 75 anos da Rádio Renascença, na Universidade Católica. James Curran, do Goldsmiths College (à esquerda na primeira fotografia), fez a comunicação de abertura: Rethinking the impact of the internet in the digital era. A que se seguiram a mesa Entre o analógico e o digital, moderada por Rita Figueiras, com Rogério Santos, Nelson Ribeiro (UCP), Paula Cordeiro (ISCSP) e Luís Bonixe (Instituto Politécnico de Portalegre), e a mesa A Renascença e a rádio vistas por antigos profissionais do grupo R/Com, moderada por José Luís Ramos Pinheiro, com João Amaral (Leya), Eduardo Oliveira e Costa (RTP), Fernando Ilharco (UCP) e Ângela Silva (Expresso).

A ocasião foi também momento para o lançamento do livro de Fernando Magalhães Crespo Os meus 31 anos na Rádio Renascença. Contributo para a história da Emissora Católica Portuguesa. Vol. I – 1974/1990, da editora Principia (na quarta fotografia, o autor está a colocar um autógrafo num exemplar do seu livro).

O livro está dividido em três partes, a primeira dedicada à constituição da Rádio Renascença e da sua Liga de Amigos (1934-1938), a segunda ao Processo Revolucionário em Curso (1974-1975) e a terceira ao Período de Desenvolvimento (1976 em diante), num total de 50 capítulos sintéticos. Da contracapa do livro, retira-se a seguinte informação: “São inúmeros os factos vividos pessoalmente, bem como os momentos e os testemunhos que este livro revela ou recorda, muitos também os acontecimentos e factos concretos que aqui ganham contornos até agora pouco claros ou distorcidos pelo tempo. O propósito fundamental deste valioso testemunho pessoal de Magalhães Crespo é dar a conhecer melhor, na primeira pessoa, a história da Rádio Renascença enquadrada num período conturbado da história do País, para que melhor se compreenda a sua singular missão como Emissora Católica Portuguesa”.

Fernando Magalhães Crespo, engenheiro mecânico, foi nomeado gerente da Rádio Renascença em Julho de 1974, cargo que manteve até 2005. Entre outras atividades, foi fundador da ARIC (Associação das Rádios de Inspiração Cristã (1991), da NOVA – Federação dos Meios de Comunicação Social de Inspiração Cristã (1994) e da CPMCS – Confederação Portuguesa dos Meios de Comunicação Social (1994).


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.