Carla Baptista: “Apogeu, morte e ressurreição da política nos jornais portugueses – do século XIX ao Marcelismo”

Ainda não li o livro de Carla Baptista, intitulado Apogeu, morte e ressurreição da política nos jornais portugueses – do século XIX ao marcelismo, editado pela Escrit’orio, mas deixo aqui a nota da contracapa: “Esta é uma investigação que começa ainda no século XIX, num tempo de folhas e panfletos políticos exuberantes, atravessa os sombrios e mais silenciosos tempos da ditadura e culmina no período em que o país foi governado por Marcelo Caetano, entre 1968 e 1974. Fala de oposição e resistência, mas também do jogo e da cooperação que existem entre políticos e jornalistas. A profissionalização dos jornalistas portugueses, um processo que implica necessariamente a conquista da liberdade e da autonomia face ao poder, fez-se a duras penas, com muitas hesitações e de forma incompleta até ao final da década de 1970 do século XIX. Mas o facto do jornalismo ter iniciado um processo de modernização ainda antes da mudança de regime, em 1974, constitui um fator complexo e notável, que demonstra bem como, por debaixo de estruturas que, aparentemente, são imóveis e rígidas, existem campos e forças sociais em agitação e fervência”.

O texto resulta da tese de doutoramento da autora, docente da Universidade Nova de Lisboa e autora de livros como Jornalistas, do ofício à profissão (2007) e Memórias vivas do jornalismo (2009), ambos em coautoria com Fernando Correia. Na altura, coloquei uma mensagem e um vídeo aqui no blogue.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.